10 de abril de 2013

FICHADO

Por Danilo Rizzo - Apesar da data da notícia, 01/04, a informação parece real e bem interessante para os que gostam da história do Brasil, em especial no período em que o país viveu sob a ditadura militar.
Estão disponíveis na internet os arquivos do Departamento Estadual de Ordem Política e Social (DEOPS), naquela época responsável pelo controle e repressão dos cidadãos contrários ao regime imposto pelo golpe militar de 1964. Bem, a digitalização é gradual, atualmente 10% dos arquivos da agência já estão digitalizados, mas a intenção parece ser de chegar a 100%. O acesso pode ser feito através desse link.
Os arquivos guardam informações classificadas como de ‘segurança nacional’, mas pesquisei e vi muita coisa irrelevante aos meus olhos não contaminados pelo ambiente hostil e repressivo daquela época. E os registros vão do controle dos passou do músico Tom Zé até a entrevista do rabino Henry Sobel. (Cadê minha gravata?). Hebe Camargo, Pelé, Sócrates (o jogador, não o pensador), Sarney, Collor, Tancredo Neves, estão todos lá. 
Mas esqueçamos desses desconhecidos. Lembro que meu pai, formado em engenharia civil na Escola Politécnica da USP, costumava comentar que naquela época os servidores do DOPS/DEOPS eram comumente vistos nos corredores e alamedas da Cidade Universitária. A função única desses caras era ‘acompanhar’ os mais exaltados até o delegado de plantão para ‘prestar esclarecimentos’. Papai teve esse prazer uma vez, quando, ao invés de escrever um discurso de inauguração de uma obra, proferiu duas páginas de criticas ao regime.
Meu pai também comentava da vida sindical de meu tio-avô Santo Rizzo, natural de Jaú/SP e que se envolveu ativamente na militância pelos direitos trabalhistas rurais, e posteriormente se fez presente no nascimento do movimento sindical dos metalúrgicos do ABC paulista. Diante da oportunidade, me vi obrigado a vasculhar os arquivos do DEOPS atrás de registros sobre meu tio-avô. E eu encontrei...

Nenhum comentário:

Postar um comentário